CORRENTE e ALN: memória da resistência armada à ditadura em Minas Gerais (1967-1971)
Fecha: 2013 12 12
Grupo: Artículos
País: Brasil
Categoria : Comunicado
 Logo del Grupo:


 Ficheros del Artículo:

Descargar Archivo
Figueiredo_Ramos-2013.pdf


CORRENTE E ALN: MEMÓRIA DA RESISTÊNCIA ARMADA À DITADURA EM MINAS GERAIS (1967-1971)

LUIZ FERNANDO FIGUEIREDO RAMOS
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS, 2013

RESUMO: A presente dissertação em História Política do Brasil Republicano analisa e discute a luta armada como proposta de combate e resistência à ditadura civil-militar (1964-1985). Trata-se de um estudo de caso, envolvendo duas organizações revolucionárias de esquerda: a Corrente Revolucionária de Minas Gerais (CORRENTE) e a Ação Libertadora Nacional (ALN). Serão apresentadas e discutidas sua formação e suas propostas revolucionárias. Para essas organizações, originárias das dissidências locais do Partido Comunista Brasileiro (PCB), permanecer em uma estrutura partidária burocratizada seria um entrave para a ação revolucionária. Naquele momento, era necessário partir para a ação guerrilheira imediata a fim de derrotar a ditadura. As duas organizações tiveram breve atuação em Minas Gerais, a CORRENTE em 1968 e 1969 e a ALN em 1970 e 1971. Abordaremos os dois movimentos por terem uma origem comum no PCB e pelo fato de a CORRENTE ser definitivamente incorporada à ALN após a desarticulação desta em 1969. Analisaremos a trajetória dessas organizações a partir de depoimentos de ex-militantes e documentos produzidos pela polícia política, fazendo um cruzamento de fontes escritas e orais.

PALAVRAS-CHAVE: ALN, CORRENTE, esquerdas, guerrilha, terrorismo, revolução.

© 2006 - Cedema.org - CENTRO DE DOCUMENTACION DE LOS MOVIMIENTOS ARMADOS